Falando bem … e ouvindo melhor…

Há dois lados em toda conversa e ambos são essenciais para a arte da comunicação. Então, como estão suas habilidades de conversação? …Pense nisso: você é um falador tranquilo ou divaga? Você é um ouvinte atento ou tende a interromper?

Como dominar a arte da conversa nos dos dois lados:

Quando é a sua vez de falar …

Dirija seu pensamento.
A fonte mais comum de mensagens confusas é o pensamento confuso. Temos uma ideia que ainda não pensamos. Ou temos tanto que queremos dizer que não podemos dizer isso. Ou temos uma opinião tão forte que não conseguimos mantê-la. Como resultado, estamos mal preparados quando falamos e confundimos a todos. A primeira regra da conversa franca, então, é pensar antes de dizer qualquer coisa. Organize seus pensamentos.

Diga o que você quer dizer.
Diga exatamente o que você quer dizer.

Vá direto ao ponto.
Comunicadores eficazes não andam por aí. Se você quer algo, peça. Se você quiser que alguém faça algo, diga exatamente o que deseja fazer.

Seja conciso.
Não desperdice palavras. A confusão cresce em proporção direta ao número de palavras usadas. Fale de forma clara e breve, usando as palavras mais curtas e familiares.

Seja real.
Cada um de nós tem uma personalidade – uma mistura de traços, padrões de pensamento e maneirismos – que podem nos ajudar a nos comunicar com clareza. Para máxima clareza, seja natural e deixe o real acontecer. Você será mais convincente e se sentirá muito mais confortável.

Fale em imagens.
O clichê de que “uma imagem vale mais que mil palavras” nem sempre é verdade. Mas palavras que ajudam as pessoas a visualizar conceitos podem ser um tremendo auxílio na comunicação de uma mensagem.

Mas conversar ou enviar mensagens é apenas metade do processo. Para ser um comunicador verdadeiramente talentoso, você também deve saber como ouvir ou receber mensagens.

Se você estiver se aproximando de uma ferrovia atravessando uma curva cega, poderá enviar uma mensagem com a buzina do seu carro. Mas essa não é a parte mais importante da sua tarefa de comunicação. A comunicação que conta ocorre quando você para, olha e ouve – uma advertência útil para conversas também.

Quando é a sua vez de ouvir …

Faça com pensamento e cuidado.
Ouvir, como falar e escrever, requer interesse e atenção genuínos. Se você não se concentrar em ouvir, não aprenderá muito e não se lembrará muito do que aprenderá. A maioria de nós retém apenas 25% do que ouvimos – portanto, se você pode aumentar sua retenção e compreensão, pode aumentar sua eficácia.

Use seus olhos.
Se você ouvir apenas com os ouvidos, estará perdendo grande parte da mensagem. Os bons ouvintes mantêm os olhos abertos enquanto ouvem. Procure sentimentos. O rosto é um meio de comunicação eloqüente – aprenda a ler suas mensagens. Enquanto o orador está transmitindo uma mensagem verbal, o rosto pode estar dizendo: “Estou falando sério”, “Estou brincando”, “Dói-me dizer isso a você” ou “Isso me dá um grande prazer”.

Observe estes sinais não verbais ao ouvir pessoas:
Esfregando um olho. Quando você ouvir “Acho que você está certo”, e o alto-falante estiver esfregando um olho, adivinhe novamente. Esfregar um olho frequentemente é um sinal de que o falante está tendo problemas para aceitar algo interiormente.
Batendo os pés. Quando uma declaração é acompanhada de pancadas, geralmente indica falta de confiança no que está sendo dito.
Esfregando os dedos. Quando você vê o polegar e o indicador esfregando juntos, geralmente significa que o alto-falante está segurando algo.
Olhando e piscando. Quando você vê a outra pessoa olhando para o teto e piscando rapidamente, o tópico em questão está sendo considerado.
Sorrisos tortos. A maioria dos sorrisos genuínos é simétrica. E a maioria das expressões faciais é passageira. Se um sorriso é visivelmente torto, você provavelmente está olhando para um sorriso falso.
Olhos que evitam o contato. O mau contato visual pode ser um sinal de baixa auto-estima, mas também pode indicar que o falante não está sendo sincero.
Seria imprudente tomar uma decisão baseada apenas nesses sinais visíveis. Mas eles podem lhe dar dicas valiosas sobre o tipo de perguntas a serem feitas e o tipo de resposta que você deve estar atento.

Facilite as coisas.
As pessoas que são pobres ouvintes encontrarão poucas que estejam dispostas a procurá-las com informações úteis. Os bons ouvintes facilitam para quem eles querem ouvir. Eles deixam claro que estão interessados ​​no que a outra pessoa tem a dizer.

Robson O. Santos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: